Semana da água leva modelo de gestão sustentável dos recursos hídricos a debate
20/03/2019 09:42 em Novidades

“Água: Construindo soluções” é o tema escolhido pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) para comemorar a Semana da Água em 2019. A proposta de ampliar o diálogo com a sociedade sobre os avanços, desafios e soluções que possam contribuir com a gestão sustentável dos recursos hídricos está na agenda do seminário a ser promovido pelo Instituto nos dias 21 e 22 de março. O evento será realizado no Teatro da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte.

 

Durante a solenidade de abertura será lançado o Programa Estratégico de Revitalização de Bacias Hidrográficas de Minas Gerais – Somos Todos Água”. O Programa Estratégico de Revitalização de Bacias Hidrográficas de Minas Gerais tem o objetivo de desenvolver ações permanentes e integradas, entre secretarias do Governo e outros entes, visando a boa gestão, conservação e recuperação dos recursos naturais, com destaque para o aumento da quantidade e melhoria da qualidade da água. A abertura contará também com o lançamento, pelo secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimentro Sustentável, Germano Vieira, do III Prêmio de Boas Práticas Ambientais.

 

O concurso tem o objetivo de reconhecer, incentivar e divulgar as boas práticas ou projetos de gestão ambientalmente adequada dos resíduos sólidos agropecuários, industriais e minerários no Estado de Minas Gerais, conforme critérios estabelecidos no regulamento. Podem se inscrever pessoas físicas ou jurídicas que possuam práticas ou projetos de autoria própria, em execução ou executados no Estado de Minas Gerais, e que possuam regularização ambiental, nos casos aplicáveis.

 

Nesta edição, o tema do concurso é o reaproveitamento de rejeitos e serão contempladas as categorias de melhor prática ou projeto de gestão de resíduos sólidos em três áreas: agropecuária, mineração e indústria. Cada categoria será premiada conforme a subdivisão: cidadão, grupo de cidadão ou organização da sociedade civil; órgão municipal, estadual ou federal e instituições privadas.

 

Outras publicações como a “Gestão de Bacias Hidrográficas: critérios para Definição e Áreas Prioritárias para Revitalização e a Revista Mineira de Recursos Hídricos também serão lançados na solenidade. Na cerimônia de abertura, a Ong SOS Mata Atlântica fará uma apresentação sobre a importância dos Planos Municipais de Mata atlântica para a Revitalização de Bacias Hidrográficas.

 

SEMINÁRIO REVITALIZAÇÃO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS

 

No dia 21 de março, a partir das 14h, a programação continua com a realização de palestras e debates. No painel 1 será discutido o tema “Revitalização de bacias: governança, transversalidade e participação social”. Com a realização de dois painéis, as discussões propostas no Seminário têm como objetivo compartilhar conhecimentos, experiências e práticas inovadoras, além de mobilizar e integrar poder público, Conselhos, Comitês de Bacias, Universidades, empreendedores e sociedade em geral em prol do desenvolvimento do Programa Estratégico de Revitalização de Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais.

 

O Painel I contará com a presença da diretora-geral do Igam, Marília Melo; do representante da Secretaria Nacional de Segurança Hídrica do Ministério do Desenvolvimento Regional, Henrique Pinheiro Veiga; do Oficial de Meio Ambiente da Representação da Unesco no Brasil, Massimiliano Lombardo, da representante da Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Distrito Federal, Maria Silvia Rossi e do representante da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), João Bosco Senra.

 

O Seminário continua na sexta-feira, 22 de março, com o Painel II: “Experiências em implementações de programas de revitalização de bacias”, a partir das 9h e com a Roda de Conversa: Soluções inovadoras para o uso eficiente da Água no campo e na cidade, a partir das 14h.

O painel II conta com a participção do analista ambiental do Instituto estadual de Florestas (IEF), Leandro Carmo Guimarães; com a representante do Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (Inea), Patrícia Napoleão, da representante da WWW-Brasil, Paula Hanna Valdujo e do representante da Agência Nacional das Águas (ANA), Flávio Troger.

 

Já a roda de conversa traz os profissionais Guilherme Raucci da empresa da Agrosmart;  Gustavio Freitas representante da Infinitytech Engenharia e Meio Ambiente e Marcelo de Deus da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), além do moderador Alexandre Magrineli, professor de Direito Ambiental e analista ambiental da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam). 

 

NASCENTE DO PARAOPEBA

 

Ainda na tarde do dia 22 está previsto o cercamento da primeira nascente do Rio Paraopeba. O nascedouro fica no município de Cristiano Otoni, dentro da propriedade Soledade. Os materiais para o cercamento da nascente serão doados pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) e possibililtarão a confecção de 1.260 metros de cerca para uma primeira área de mata, onde se encontra a primeira nascente do Paraopeba e outras quatro. Também serão feitos 408 metros de cerca para uma segunda área de vegetação localizada na propriedade, onde serão cercadas mais quatro nascentes.

 

 Ao todo, a ação permitirá a proteção de nove nascentes e 1.668 metros de cercas construídas. Serão doados 403 moirões, 21 rolos de arame de 250 metros, nove  quilos de grampo e nove fardos de balancinho, com 100 unidades cada.

O cercamento é uma forma de preservação do Rio Paraopeba, no trecho à montante do local do rompimento da Barragem I, da Vale, em Brumadinho. O cercamento será realizado às 15h, do dia 22 e é aberto à imprensa.

 

Com informações da Assessoria de Comunicação

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!