Centro de Controle de Zoonoses divulga índice de infestação do Aedes Aegypti em Montes Claros
12/03/2018 09:27 em Novidades

A terceira pesquisa (LIRAa 03/2017) do índice de infestação realizada no  período de 23 a 25 de outubro de 2017, demonstrou um valor médio de 3,4 % ou seja, a cada 100 casas pesquisadas pelos agentes do Centro de Controle de Zoonoses, 3 a 4  casas apresentaram criadouros do mosquito Aedes aegypti, e mesmo com a  intensificação nas atividades de controle do vetor pelas equipes do Centro de Controle de Zoonoses e parcerias; considerando ainda que estamos no período de chuva,  informamos que a primeira  pesquisa (LIRAa 01/2018) do índice de infestação realizada no período de 15 a 17 de janeiro , demonstrou um valor alto de 8,0 % ou seja, a cada 100 casas pesquisadas pelos agentes do Centro de Controle de Zoonoses, 8 a 9 casas apresentaram criadouros do mosquito Aedes aegypti caracterizando uma situação de Alto risco para transmissão da dengue, segundo parâmetros do Ministério da Saúde, que preconiza índice inferior a 1% baixo risco, de 1% a 3,9% médio risco e acima de 3,9% alto risco de transmissão da dengue.

A cidade foi dividida em 20 estratos para realização da pesquisa. Cada estrato compreende um universo de 8.000 a 12.000 imóveis. Conforme metodologias do Ministério da Saúde são sorteados quarteirões e pesquisados 20% dos imóveis dos mesmos, totalizando 8.989 imóveis pesquisados que representa aproximadamente 4,1% dos imóveis da cidade.

Da pesquisa realizada não tivemos estratos com índice inferior a 1% caracterizando situação de baixo risco,  2 estratos superior a 1% e inferior  a 3,9% caracterizando situação de médio risco e em 18 estratos superior a 3,9% caracterizando situação de alto risco.  

Abaixo relação de alguns bairros que apresentaram os maiores índices de infestação de Aedes aegypti: (anexo)

 

Os locais em que foram encontrados criadouros do Aedes com maior frequência foram, depósitos para armazenamento de água ao nível do solo (caixa d,água nível do solo tambor, tonel, tina)( A2) 55,9% , depósitos moveis (vasos/frascos com plantas, pingadeiras recipientes de degelo de geladeiras, bebedouros e objetos religiosos (B)  17,6%  e depósitos fixos como tanque de alvenaria dep. Em obras, borracharias  e hortas calhas e Lages, sanitários desuso caixas de passagens(ralos canaletas etc.) e peças arquitetônicas (C) 13,1%.

 

Considerando a situação atual da cidade as principais recomendações para evitar a dengue são:

 

                       Providenciar limpeza periódica e vedamento dos tambores, tanques e caixas d,água ou consumo da água em período menor que o ciclo de reprodução do mosquito. 

                       Limpar periodicamente os ralos e caixa de passagens bem como providenciar nivelamento correto e usar telas quando necessario.  

                       Destinar o lixo para coleta pública;

                       Escoar a água dos pratos de planta;

                       Limpar e drenar calhas, lajes principalmente em períodos que antecede as chuvas se possível ajustar o nivelamento proporcionando uma queda de água apropriada.

                       Tratamento adequado em piscinas mesmo que não esteja em uso.

                       Limpar periodicamente lotes vagos de sua responsabilidade bem como quintais de residências e dependências de clubes.

 A coordenação do Centro de Controle de Zoonoses informa que 189 servidores estão trabalhando nas atividades de controle da dengue e que as ações serão intensificadas nos bairros com maiores índices de infestação bem como ações de limpeza com parceria com outros órgãos para controle  do Aedes aegypti.

 As atividades para controle que estão sendo realizadas são:

                     Inspeções domiciliares para eliminação mecânica e química de criadouros do mosquito;

                     Atividades educativas para orientar a população como evitar focos do vetor;

                     Aplicação de inseticida espacial para eliminação dos insetos adultos em locais onde                 ocorreram casos suspeitos de dengue;

                     Atendimento às denúncias da população sobre focos do mosquito através do telefone

      2211-44003

É importante ressaltar que o controle de um inseto tão domiciliado quanto o Aedes aegypti, haja vista que 95% dos focos são encontrados nas residências, depende fundamentalmente da participação da população que deve estar mobilizada e consciente de suas responsabilidades para reduzir o risco de transmissão da dengue, pois a prefeitura de Montes Claros tem realizado todas as medidas preconizadas pelo Ministério da Saúde para controlar essa doença em nossa cidade.

 

             

Relação de bairros com índice igual ou superior a 17%

Localidades - RG

IIP (Índice de Infestação Predial) %

01

JARDIM PANORAMA I

59,00%

02

EDIGAR PEREIRA I

29,78%

03

IBITURUNA I

25,40%

04

DONA GREGORIA

24,48%

05

FUNCIONARIOS

23,30%

06

NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

23,07%

07

VILA SION I

23,00%

08

CONJ. HABIT. SANTOS DUMONT

21,05%

09

JK I

20,50%

10

CANELAS

20,00%

11

SANTOS REIS

20,00%

12

VILAGE DO LAGO II

19,64%

13

VILA CAMILO PRATES

19,20%

14

VILA REGINA I

18,,70%

15

MORRINHOS I

18,50%

16

JARDIM BRASIL

18,49%

17

VILA TUPÃ

18,18%

18

VILA REGINA

17,50%

 

*obs. Estes são os bairros onde serão feitas intensificações imediatas dos trabalhos sempre levando em consideração alto índice de infestação circulação de vírus e focos encontrados e eliminados nas rotinas de tratamento realizado.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!